sexta-feira, 27 de junho de 2014

ODE



ODE

Como premissa, há o direito à ordem e à harmonia em nosso espírito. Em seguida, à família, à comunidade, e, enfim, ao Reino. É quando alcançamos paz e harmonia.
CONFÚCIO (551-479 a.C.)

Nós que nascemos
Nos campos
Longe das cidades,
Com rostos mutantes,
Temos o direito de sangue
Que ninguém pode vender,
E uma alegria secreta
Que ninguém pode exprimir.
Pois somos todos irmãos
Das coisas nobres
Das asas brancas da gaivota,
Da pescada e do salmão,
Do touro e do cavalo,
Do renascer da fênix
E do perfume do lírio.
O brio das árvores,
A rapidez das correntes
A magia das geleiras
Afeiçoaram os nossos sonhos:
Nem uma só visão maligna
Preenche-nos o espírito.
Nós que caminhamos em frente
Pelas colinas nuas

® Renata Cordeiro

5 comentários:

São disse...

Um belo poema em que está exposta uma enorme verdade: somos seres vivo que emanamos todos da mesma Origem e que, portanto, nos devemos respeitar , no mínimo.

Minha querida , abraço forte

Evanir disse...

Amo pessoas que cuidam da natureza,
que espalham sementes,
plantam árvores que florescem o mundo
Elas colherão frutos doces,
independente das estações.
Como é bom poder estar aqui
nesse momento,
que tento de todas as formas,
pular obstáculos,
saltar de paraquedas, pular da ponte,
mais tenho medo de cair num abismo sem poder voltar.
Obrigada pela sua amizade que tanto bem me faz.
Um feliz final de semana beijos e meu carinho eterno.
Evanir.

Malu Silva disse...

E pelas colinas nuas vamos tomando toda consciência do mundo. Adorei passar por aqui! Abraços

www.euflordealfazema.com

PAULO TAMBURRO. disse...

RENATA.

As colinas nuas das nossas ilusões e fantasias vestidas de tanto altos e baixos,também e igualmente, onduladas pelas inesperadas surpresas que a vida nos faz.

E como gosto de ser surpreendido!

Um abração carioca.

Blue disse...

E para nos manter
do campo dependemos.
E portanto não devemos
deixar as colinas
cada dia mais nuas.

Beijo