domingo, 20 de abril de 2014

ILUSTRE E FERMOSÍSSIMA*****************




ILUSTRE E FERMOSÍSSIMA***************** 

Luis de Góngora (1561-1627)


Ilustre e fermosíssima Maria,
enquanto deixam ver-se a todo instante
nas tuas faces a Aurora purpurante,
nos olhos Febo, e em teu semblante o dia,

e enquanto com gentil descortesia
o vento move a fibra tão volante
que nas veias da Arábia é abundante,
e que na areia o rico Tejo cria;

antes que logo qual Febo eclipsado,
 o alvo dia se torne noite escura,
fuja a Aurora do efêmero nublado;

antes que o que é hoje láureo tesouro
vença à alvíssima neve a sua alvura,
goza, goza essa cor, e luz, e esse ouro!

.
Trad. pela Renata

3 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Traduzir poesia não é nada fácil.
E, a julgar pela excelência do soneto, fizeste um magnífico trabalho.
Renata, querida amiga, tem um bom fim de semana.
Abraço.

Evanir disse...

Se cada um dos nossos sonhos pudessem criar novos tempos,
novas esperanças e iluminasse cada amanhecer,
a cada novo dia pudessemos
escrever uma nova história,
a vida seria repleta de certezas.
Mas, a vida é cheia de incertezas,
e é isso que nos estimula a sonhar e
a depositar nossas esperanças no amanhã, sabendo que,
o hoje é uma fonte inesgotável de benção
de possibilidades de ser feliz.
Um feliz e abençoado Domingo.
Uma nova semana repleta de realizações
que seja dias de felicidades suprema.
Beijos e meu eterno carinho..
Evanir.

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Vengo del blog de Susurros de Sónia M. y me ha encantado tu Espacio; por lo cual, si no te importa, me hago Seguidor de tu Mágico Rincón.
Abraços.