domingo, 31 de janeiro de 2016

POEMA DE MACHADO DE CARLOS


2 comentários:

Jorge disse...

Poucas palavras que dizem muito...
Beijinho, Renata!

PAULO TAMBURRO. disse...

RENATA,

não que eu seja ciumento,não que eu seja egoista,não que eu seja desconfiado, não que eu seja tímido ou exclusivista, mas ficar permitindo esta prosaica exposição da pele nua da minha mulher amada, mesmo que seja para a lua, sinceramente? Estou fora!

Sei lá, não confio mais em nada , muito menos na lua!

E farinha pouca , meu pirão primeiro mesmo que estejamos somente no terreno da poesia e das licenças poéticas comuns.

Não corro mais risco nenhum!

Não quero correr e se o amor é meu, por favor permitam-me que eu seja o único a iluminar o corpo, a pele e se possível, incendiar-lhe o coração.

Não terceirizo mais nada em matéria de amor, nem para a lua,sua luz,ou o escambau!

Tenho dito e não retiro.

Estou sentindo falta dos seus excelentes comentários no meu blog: HUMOR EM TEXTOS.

Um abração carioca.